Requerentes de asilo sem teto recebem senhas para comer nas cantinas sociais
Radio Latina 14.11.2023 Do nosso arquivo online

Requerentes de asilo sem teto recebem senhas para comer nas cantinas sociais

O Luxemburgo faz agora uma triagem de requerentes de asilo que chegam ao país por não ter vagas nos centros de acolhimento.

Requerentes de asilo sem teto recebem senhas para comer nas cantinas sociais

O Luxemburgo faz agora uma triagem de requerentes de asilo que chegam ao país por não ter vagas nos centros de acolhimento.
Foto: Claude Piscitelli
Radio Latina 14.11.2023 Do nosso arquivo online

Requerentes de asilo sem teto recebem senhas para comer nas cantinas sociais

Os requerentes de asilo sem teto, vistos a dormir debaixo da Ponte Adolphe, têm recebido senhas para poderem comer na cantina social da Stëmm vun der Strooss, associação que presta apoio a pessoas sem-abrigo.

Questionada pela Rádio Latina sobre os casos de migrantes sem abrigo no país relatados nas últimas semanas no Luxemburgo, a Stëmm vun der Strooss garantiu que estas pessoas recebem senhas para comer na cantina social da associação.


Uma das tendas instaladas sob a ponto Adolfo, na cidade do Luxemburgo.
Requerentes de asilo a dormir nas ruas. Uma situação nunca vista no Luxemburgo
O ministro cessante da Imigração, Jean Asselborn, revelou em meados de outubro, que o Luxemburgo não tem camas suficientes para acolher todos os requerentes de asilo que chegam ao país. Como consequência, os requerentes de asilo são alvo de uma triagem, com prioridade dada às famílias com crianças e aos mais vulneráveis.

A organização diz também constatar um “aumento substancial” da afluência aos seus serviços, acrescentando por outro lado “desconhecer a situação atual destes migrantes, se foram alojados em algum lugar ou não”.

Recorde-se que, por decisão do ministro da Imigração e Asilo, Jean Asselborn, os requerentes de asilo, ao abrigo do regulamento de Dublin, solteiros e do sexo masculino que chegam ao país não têm abrigo garantido. Razão invocada? Falta de camas. 

Perto de 300 requerentes de asilo chegaram ao Luxemburgo em outubro

O Ministério da Imigração e do Asilo recebeu 294 pedidos de proteção internacional no passado mês de outubro. Desses, 66 foram feitos por pessoas provenientes da Eritreia, 62 do Sudão e 43 da Síria. Trata-se do número mais elevado de chegadas deste ano.

Ainda de acordo com os números disponibilizados pela Direção de Imigração, em janeiro foram atribuídos 70 estatutos de refugiado, 13 estatutos de proteção subsidiária e dois repatriamentos do Grão-Ducado para outros países, uma vez que os pedidos de asilo desses requerentes de asilo tinham sido feito inicialmente noutro país europeu, ao abrigo do tratado de Dublin.

Note-se que os pedidos de asilo de pessoas oriundas da Ucrânia são incluídos noutras estatísticas, uma vez que solicitam proteção temporária. Entre estes residentes, houve 90 pedidos em outubro.

Artigo: Diana Alves e Susy Martins Foto: Arquivo LW


Notícias relacionadas

Uma das tendas instaladas sob a ponto Adolfo, na cidade do Luxemburgo.
Imagem meramente ilustrativa.